20/06/2013 - 15:50 - Futuro do programa de avaliação docente

Alunos do curso de Física, 



Tendo-se em vista o ocorrido na primeira edição da Avaliação Docente do ColFis (AD), é natural que nos perguntemos sobre a viabilidade da continuação do processo de avaliação dos professores, pelos alunos de nosso curso. Como já foi dito em mensagem anterior, a divulgação pública do resultado foi um ato isolado de pessoas insanas e que ocorreu devido a uma falha no processamento das informações coletadas na avaliação. Essa falha foi de minha inteira responsabilidade e seu conhecimento ficou restrito a apenas 11 professores. Apesar de esse número ser relativamente pequeno, foi suficiente para que o problema tomasse a proporção que tomou. 



Mas o fato é que, apesar de tudo que ocorreu, o programa de processamento dos dados coletados na AD foi corrigido e as avaliações individuais foram enviadas para os professores. Como resultado, recebi apenas três críticas negativas (foram 43 professores avaliados) sobre a aplicação da AD, em contraste com o apoio geral que recebi dos professores com que conversei. Muitos desses professores me pediram para que eu não encerrasse a AD, pois também acreditam que é um mecanismo eficiente para controle da qualidade do trabalho docente. 



Em conversas informais com alunos, senti a natural preocupação com respeito à continuidade da AD, dado o medo de novo vazamento de suas identidades no processo. Alguns sugeriram que a avaliação fosse anônima, pois isso “resolveria” o problema. Em primeiro lugar, digo que a possibilidade de ocorrer novo vazamento na AD é remota, tendo-se em vista que os problemas no processamento já foram resolvidos. Em segundo, a identificação dos alunos é fundamental para que haja alguma confiabilidade no resultado da avaliação. 



Também tenho conhecimento de que há um movimento que alguns alunos estão fazendo no sentido de demonizar a AD e, por tabela, o próprio trabalho que estamos tentando fazer. Acredito que este não é o raciocínio correto. A mera extinção da avaliação provocaria mais prejuízos do que benefícios a vocês. Volto a lembrar de que este é nada menos do que o melhor instrumento que dispomos para controle de qualidade das aulas dos professores. O fim da AD seria muito ruim para vocês e uma vitória estrondosa para aqueles que não dão a mínima para a qualidade de ensino e, por tabela, para vocês. 



Além disso, sempre que tentamos fazer algo que nunca foi feito (AD online por parte do ColFis), estamos sempre sujeitos a erros. Desistir ante a ocorrência de um erro é a atitude mais fácil a ser tomada. É como adotar a solução trivial como sendo a resposta de um problema matemático. A solução verdadeira é mais penosa, mais difícil de ser conseguida. E quando vencemos o problema, usufruindo disso vantagens reais, podemos respirar sossegados de que nosso esforço, nosso sofrimento e nossos prejuízos foram, no fim das contas, irrelevantes. Mais que isso, gerações futuras de alunos de nosso curso poderão ser beneficiadas pelo esforço e pela tenacidade de vocês hoje. 



Não é difícil encontrar exemplos de vazamentos infinitamente mais graves do que o que ocorreu aqui. Empresas e instituições importantes já sofreram com isso. Google e Facebook já foram vítimas de vazamentos e eu não tenho conhecimento de ninguém que tenha fechado sua contas por causa de vazamento de dados. Vejam alguns exemplos: 

“Entenda o caso dos vazamentos de dados sigilosos na Receita”, Folha de São Paulo, 14/09/2010. 

“Facebook permitiu vazamento de dados de usuários durante anos”, Portal Terra, 10/05/2011. 

“Falha em site do Sisu vaza dados de candidatos durante inscrição”, Último Segundo-IG, 07/01/2013. 

“Vazamento de dados de estudantes do Enem será apurado, diz Inep”, G1-Educação, 04/08/2010. 

“Google pede permissão aos EUA para publicar dados sobre vazamento”, G1-Mundo, 11/06/2013. 



Por tudo isso, digo que estamos vivendo um momento especial em nosso curso. Agora é a hora de fazer a coisa certa. E a coisa certa a fazer é insistir num coisa que tem real potencial e que, posso assegurar, trará benefícios não somente a vocês hoje, como aos seus futuros colegas de curso. 



Assim, estou disposto a manter a AD. Se vocês pensam que eu lucro alguma coisa com isso, estão muito enganados. A AD me dá muito trabalho, me faz despender muito tempo, me traz aborrecimentos e conflitos com alguns de meus colegas. Portanto, eu deveria ser o primeiro a propor a extinção da AD, pois afinal, o que eu ganho com isso? Posso dizer que nada, exceto a satisfação de cumprir com meu dever e de ter o sentimento de fazer o que acho certo. Mas este sou eu e esta é apenas minha opinião. Agora é a vez de vocês tomarem a decisão correta. 



Para isso peço que vocês respondam a uma enquete de apenas uma pergunta, sobre sua intenção de participar ou não em futuros processos de avaliação docente. Procurem lembra-se que este é o momento de fazer o que é certo. 



=== Link omitido por questões de segurança ===



Prof. Anderson Coser Gaudio 

Coordenador do Colegiado de Curso de Física

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910